O Ângulo

Além do ponto e da linha reta, que são as expressões mais simples da geometria, segue-se que é a figura geométrica formada por duas linhas que se encontram em uma de suas extremidades.

Maçonicamente, é usado o ângulo reto, representado pelo esquadro, simbolizando a retidão em caminhos diferentes, partindo-se de um mesmo ponto e que jamais se encontrarão porque um segue o universo cósmico e o outro o universo espiritual.

O ângulo é o símbolo da virtude.

Os Aprendizes e Companheiros os usam em suas marchas dentro do Templo.

O ângulo formado pelo compasso apresenta outras características: a possibilidade de as linhas unirem-se, simbolizando a fusão da matéria com o espírito.

Não esqueçamos que a nossa trajetória pelo mundo segue dois caminhos: o da materialidade e o da espiritualidade.

Não são caminhos paralelos, mas, de qualquer forma, unidos de maneira mística.

É sempre a dualidade maçônica que todo Maçom deve observar.

Ambos os caminhos percorrem linhas retas.

Trechos do Livro Breviário Maçônico, do autor Rizzardo da Camino